O uso da tecnologia como ferramenta para permitir o desenvolvimento sustentável é uma tendência vista em cidades do mundo inteiro. Entenda o case do CTR-E, o software que trouxe mais controle e rastreabilidade na gestão de resíduos da Cidade de São Paulo. 

 

Na maior cidade do Brasil, São Paulo, mais de 12 milhões de habitantes produzem cerca de 20 mil toneladas de lixo a cada diaIsso representa cerca de 8% de todos os resíduos gerados no país 

Diante destes grandiosos números algumas dúvidas devem surgir: como é feita a gestão de resíduos na cidade de São PauloE nos outros municípios? Há tecnologias disponíveis para auxiliar nessa questão? De que forma podemos reduzir o problema do lixo? 

Neste artigo do blog Engrenagem Verde você entende melhor sobre os problemas e dificuldades da gestão de resíduos nas cidades, como a tecnologia pode ser uma grande aliada a isso e o sistema que usa software, aplicativos e QR Codes para rastrear o lixo na cidade de São Paulo, o CTR-E.  

 

  • Os problemas e dificuldades da gestão de resíduos;  
  • A tecnologia como aliada da gestão de resíduos 
  • Como a PlataformaVerde contribui para a gestão de resíduos da cidade de São Paulo? 

 

Os problemas e dificuldades da gestão de resíduos nas cidades 

Realizar a gestão de resíduos sólidos de grandes cidades não é tarefa fácil!  

Um grande problema encontrado em todas as cidades brasileiras quando se diz respeito a gestão de resíduos, é a dificuldade das autoridades públicas em rastrear a geração e o descarte do lixo urbano. Isso acontece, pois, além de existirem comportamentos inadequados por parte da população, há uma ineficiência de políticas nessa área. E, quem acaba sofrendo com problemas ambientais e sociais infelizmente somos todos nós.  

Dia após dia o descarte irregular contamina os recursos hídricos, o ambiente natural e o solo, causa inundações e apresentando um risco enorme para a população urbana. Isso impacta não somente o meio ambiente, mas também a saúde pública.  

Para as cidades apresentarem uma administração eficiente e reduzirem a degradação que o descarte de resíduos sólidos traz à natureza e à saúde pública, existem alguns obstáculos. Estar em conformidade com as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é o primeiro deles; adequar a disposição final de cada resíduo de acordo com seus componentes e materiais, sem utilizar lixões e/ou outros locais ambientalmente inadequados; adotar medidas e melhores práticas para com os resíduos, como reutilização, reciclagem e coleta seletiva, também entram como desafios.  

Além disso, o poder público deve investir em conscientização e educação ambiental para minimizar os impactos causados pelo comportamento da população e fiscalizar empresas grandes geradoras de resíduos para conter o impacto negativo nas cidades e no ambiente em que estão inseridos. Ter ferramentas que concentrem os dados destas empresas e traga transparência ao caminho do lixo urbano também ajuda nprocesso e capacita o poder público a inspecionar e punir aqueles que desrespeitam a lei ambiental. 

 

A tecnologia como aliada na gestão de resíduos 

Atualmente, com o avanço da 4ª Revolução Industrial, as ferramentas que ajudam a promover a sustentabilidade, a redução do consumo de recursos do meio ambiente e melhorar a gestão de resíduos nas cidades são do setor tecnológico.   

Este setor, tem exercido um papel primordial para apontar novos caminhos a indústrias e empresas de todos os segmentos da economia, se tornando um aliado importante em quesitos como produtividade, qualidade, automação, mecanização e eficiência. A inovação e tecnologia possibilitam trabalhar um aspecto fundamental para as organizações: a sustentabilidade do meio ambiente. 

Por isso, nesse contexto, as parcerias público-privadas (PPPs) surgem como solução. Elas podem auxiliar, de diferentes formas, as cidades brasileiras a ultrapassarem os obstáculos para uma gestão eficiente. Tornando processos mais eficiente, reduzindo custos e ainda contribuindo para o reaproveitamento e logística reversa adequada dos resíduos.  

 

Como a PlataformaVerde contribui para a gestão de resíduos da cidade de São Paulo?  

Pensando em todo o problema da gestão de resíduos, a GreenPlat desenvolveu em 2017 o CTR-E, um software em blockchain para rastreabilidade e controle de resíduos. Todas as entidades privadas da cidade são registradas no software e inserem dados sobre o que geram e onde destinam seus resíduos.  

Por meio deste software, pudemos registrar 16.800 geradores de resíduos – antes disso, apenas mil empresas se declaravam grandes geradoras de resíduos e ajudar o município a criar políticas que obrigam todas as empresas listadas em São Paulo a fazer seu registro no sistema CTR-E. 

Isso afeta positivamente a população urbana, pois reduzimos o descarte incorreto, inibindo a contaminação dos recursos hídricos, o ambiente natural, o solo e inundações. Além de ajudar empresas e trabalhadores de gerenciamento de resíduos nos setores público e privado, oferecendo rastreabilidade, transparência e agilidade ao seu processo.  

Entre em contato com o nosso time comercial pelo emailcomercial@plataformaverde.com.br e conheça as nossas soluções públicas e privadas